Tempos difíceis esses, dentro e fora de nós.

Tenho percebido de algumas amigas e amigos - e também vivido - uma certa angústia, um certo medo, uma dificuldade em colocar limites e até mesmo a rigidez deles. O que acontece dentro de nós é um reflexo do que vem acontecendo fora. E você nem precisa acreditar naquele papo de que somos todos um (mas somos!) para se perceber isso.

São tempos duros. Onde um menino negro chamado Pedro tem a sua história, sua vida, seus amores e sonhos sufocados em um supermercado na Cidade Maravilhosa (!!) . Vivemos em um  sistema lotado de pessoas doentes e anestesiadas por terem se perdido de si.

É um tempo onde famosos "buscam dignidade” para a sua bolha familiar e mudam de país, se orgulhando que seus filhos agora estudam em escola pública, na Europa. 


Jurados de morte no Brasil, se auto - exilam. Mulheres são caladas e interrompidas pelo patriarcado soberano há tanto tempo. Sabrina decide partir, não sem antes levar coragem a tantas de nós e colocar gurus bandidos na cadeia.

Amigos mudam de vida, vendem seus carros e apartamentos, mudando de cidades e buscando uma vida mais simples. Amigas dão um basta nas relações arrastadas e buscam a própria cura. É tempo de mudança! De parar de repetir os mesmos erros, os mesmos padrões, a mesma vida de sempre.

Um movimento acontece, é fato. Ao mesmo tempo, o sistema está aí, produzindo e vendendo lixos, que ficarão na Terra, por tantas e tantas gerações.

A Luz para tudo isso, é não se perder de si, ou ao menos tentar voltar para si, quando começar a caminhar pra longe. A Luz está em não acreditar em nada sobre o que pensam ou falam de você e pra você. A Luz está em se olhar com compaixão e consequentemente olhar para o outro, da mesma maneira. É só assim que talvez conseguiremos seguir nessa vida de agora com menos dor. A salvação está na observação e no aprendizado com a  natureza e na força e sabedoria que ela oferece. Está em não esperar pelas mudanças, mas ser a própria transformação, no aqui e no agora.  

E nesse mesmo aqui e agora, agradeça pela sua saúde e pelos amores que estão ao seu lado, pela parceria construída e honre a intimidade conquistada e compartilhada. Porque isso também pode mudar.

Dom Miguel Ruiz, escreveu no seu livro: Os Quatro Compromissos, que Deus mora no movimento, na transformação.

A salvação está no movimento de fazer o que precisa ser feito. 

No trabalho que faço, com a ajuda de outras pessoas, vamos colorir o muro de uma escola pública, estamos tentando oferecer dignidade à famílias que vivem em péssimas condições de trabalho, estamos dando aulas de português para quem não sabe falar nossa língua e ajudando à realizar sonhos.

Eu vivo nesse movimento de olhar para o outro, porque só assim, que consigo olhar para mim, mesmo diante de tantas limitações que tenho. 

Quer voltar para si? Olhe para o outro!

Comment