Ontem, sábado de Aleluia, dia de levar ao mundo uma centelha da Luz de Jesus na Terra. E também dia de se deparar com uma realidade não muito agradável e nada conhecida da maioria de nós: uma vida vencida pela droga.

Ontem, por alguns motivos pessoais e outros mundiais, passei muito mal quando fui alimentar os corpos e as almas destruídas pelo crack.

Pensei nas mães dos adolescentes - como mãe de um pré que sou - pensei nos filhos das mães que lá estavam. Um moço veio pegar sopa para a mãe dele. Outro me disse o nome verdadeiro baixinho e me pediu que rezasse por ele. Uma senhora me disse: tenho medo. 

A cada sopa que eu entregava, desejava coragem! Eles não me ouviam, mas o que restou de suas almas falavam com a minha.
E eles nos agradeciam pelo alimento. Perguntaram a minha religião e eu disse: a minha religião é o amor.

Mesmo com a mão queimada pela sopa fervendo que se derramou em mim , não desisti e ali fiquei. Ao olhar para o céu, vimos um único raio de sol iluminando a nossa ação por eles.

Quando voltamos, fui cuidar dos meus, fui cuidar de mim.

Ontem, foi um dos dias mais difícies e mais bonitos da minha vida. 
Renasci hoje, neste domingo.
Feliz Renascimento à vocês, que acreditam no poder das transformações pessoais e no olhar para o próximo.

O Instituto Construir precisa muito de voluntários para continuar com este lindo trabalho. Por favor, entre em contato com abreu@institutoanossajornada.org
E seja a Luz neste mundo de escuridão, porque você É essa Luz!

Gratidão pela Luz em Nosso Caminho: Elaine de Abbreu Erica Felix e Marcelo Boaratti Renata e Carol. Obrigada!

Comment